Táxi dog: 8 dúvidas frequentes sobre esse serviço

Táxi dog: 8 dúvidas frequentes sobre esse serviço

Há algum tempo fizemos um webinar sobre um serviço um tanto quanto polêmico. E algumas questões ficaram para serem discutidas. Por isso, hoje vamos falar sobre o táxi dog e as dúvidas frequentes.

Se você perdeu o webinar sobre táxi dog, você pode assisti-lo aqui.

Os principais pontos abordados na palestra foram:

  • Como montar um táxi dog?
  • Custo operacional e Público-Alvo.
  • Como calcular a margem de lucro?
  • Como divulgar o meu táxi-dog?
  • Como controlar e gerenciar?
  • Qual perfil de funcionário para o cargo?
  • Tipos de remuneração (comissão)
  • Checklist para pets (segurança dos animais)

Vale a pena conferir e assistir antes de abordarmos as dúvidas mais frequentes sobre o táxi dog neste post. Podemos até mesmo dizer que esse post é uma parte 2! Um pouco mais avançado.

Afinal, aqui vamos falar sobre questões pontuais que são dúvidas para quem já está pensando em implementar esse serviço no seu negócio pet. Confere:

  • Existe algum carro ideal para táxi dog hoje no mercado brasileiro?
  • Como fazer o check-in do animal no dia-a-dia.
  • Eu devo fazer ou delegar para algum funcionário?
  • Posso usar o meu carro pessoal (adesivado com o logo)?
  • Como calcular o valor das taxas de táxi dog?
  • Mascarar o valor do táxi dog no serviço é anti-ético?
  • O táxi dog é uma comodidade para os clientes e faz com que ele entre menos no Petshop e consequentemente comprando menos! Qual a orientação para esse caso?
  • Posso usar uma moto para fazer esse serviço?

1) Existe algum carro ideal para táxi dog hoje no mercado brasileiro?

Sim! Existem.

É muito comum vermos na internet pessoas levando animais amontoados em caixas de transporte em bancos dos carros. Mas, essa não é uma prática recomendada.

Afinal, você não consegue prender todas as caixas nos bancos. E se acontecer algum acidente, elas podem cair uma por cima da outra e machucar os pets.

Falando de um modo ideal, os carros mais recomendados para estes serviços são a Doblô e a Fiorino.

Esses veículos possuem um grande espaço na parte traseira e com algumas adaptações podem se tornar o veículo de táxi dog perfeito. Com espaço e segurança para os pets.

Vale lembrar que o fato do dono do pet se sentir seguro com o seu veículo é um fator que pode alavancar ou destruir de vez esse serviço na sua pet shop ou clínica veterinária.

Quer saber tudo o que você precisa para ter uma clínica veterinária 24h? Clique aqui.

2) Como fazer o check-in do animal no dia-a-dia

O check-in do animal nada mais é do que saber sua situação no atual momento do serviço. Por exemplo, validar se as vacinas estão em dia, se há pulgas ou carrapatos, está no cio ou não, entre outros.

É comum ouvirmos das pessoas responsáveis por buscar os animais que essa não é uma tarefa fácil no dia-a-dia. Afinal, nem sempre se tem tempo de validar isso quando vai buscar o pet.

Por isso, vamos dar algumas dicas que podem facilitar esse processo para você. Quando o dono fizer a solicitação do táxi dog, por telefone ou Whatsapp (como for que ele geralmente faz) você deve fazer alguns questionamentos.

Algo como se fosse uma entrevista mesmo.

“Oi, Joana. Tudo bem? Antes de buscar a Belinha preciso confirmar algumas informações, por favor. As vacinas estão em dia? Há registro de pulgas e carrapatos?….” E por aí você vai.

Evidentemente, se o pet já for seu cliente, algumas dessas informações você já vai ter no seu cadastro de clientes. Então, esse é um processo muito mais de validar o que você já sabe. O que torna o seu trabalho muito mais fácil.

Se você perceber qualquer coisa diferente do que passado pelo dono, vale dar aquele puxão de orelha!

3) Eu devo fazer ou delegar para algum funcionário?

Sim, você dono e empreendedor pet pode fazer. Mas, não é recomendado. Lembrando que aqui estamos falando do mundo ideal.

O papel de um empreendedor pet é preocupado em melhorar a gestão do seu negócio. Não é dar banho em cachorros, não é levar e buscar animais.

Claro que, sabemos que a realidade é um pouco diferente, muitos gestores acabam ficando somente no operacional.

Sempre que possível recomendamos que você tenha um funcionário de sua confiança para fazer este trabalho. E claro, essa pessoa precisa ter o perfil para trabalhar num táxi dog (falamos sobre isso na palestra).

4) Posso usar o meu carro pessoal (adesivado com o logo)?

Sim, também é possível. Mas, não recomendamos.

Afinal, desta forma é muito fácil você confundir suas despesas empresariais com as pessoais.

Dessa forma é mais difícil você dividir os custos de gasolina, manutenção, limpeza e até mesmo a depreciação do veículo.

Mas, claro, como venho falando aqui neste post, estamos falando do modo ideal de trabalho. Se você não tem condição de adquirir outro veículo, seguir com o seu é uma opção viável sim.

Você apenas precisa ter cuidado com esses aspectos que levantamos, uma boa dica para ter um controle bom da quilometragem rodada é você anotar sempre.

Sim, anote os KMs do carro quando saiu da pet e o quando você retornou de um dia de trabalho. Com isso, você saberá exatamente o quanto rodou aquele dia. Além do mais, é uma maneira de mensurar o custo que esse serviço está lhe dando.

5) Como calcular o valor das taxas de táxi dog?

Há diversas formas de se trabalhar com as taxas. Muitas pets optam por deixar taxas fixas e únicas, não importando a distância.

Enquanto, outras preferem trabalhar por quilometragem. Ou seja, se é em 5km o preço é X, se for em 10 é Y. E assim por diante.

No entanto, apesar de nenhuma dessas formas estar errada, prefiro aconselhar um outro método.

Vamos combinar que é super chato ficar calculando a Km de um cliente até sua loja, então para fazer de uma forma mais simples, você pode criar uma tabela por bairros.

Vamos ver o exemplo abaixo:

Essa tabela é com valores fictícios, não se baseie nos valores. Analisem o método.

Você vai denominar os nomes dos bairros que você que estão até 5km da loja loja. E com isso, considerando o gasto médio do seu veículo validar o preço que passará pelo cliente.

Com isso, sempre que seu cliente perguntar quanto custa o táxi dog, é só olhar sua planilha ou cadastrar no seu sistema de gestão.

6) Mascarar o valor do táxi dog no serviço é anti-ético?

Sim! E vou te explicar o porque…

Hoje em dia, os hábitos de consumo mudaram. Os clientes não buscam somente o melhor preço e sim uma empresa responsável e transparente.

Portanto, acredito que os seus clientes gostariam saber pelo o que exatamente eles estão pagando a mais.

Até porque, ainda existe aquele perfil de cliente que busca o melhor preço, e talvez você não saiba explicar o porque o seu serviço é mais caro que o concorrente.

É mais fácil para você ter a sua tabela de preços do banho e tosa e também uma planilha de valores adicionais para os clientes que desejam usar o taxi dog.

Eu tenho certeza que se você estiver cobrando um preço justo pelo taxi dog, seus clientes não se importarão.

No entanto, precisamos levar agora um ponto de discussão:

O taxi dog é para gerar lucro por si só ou um modo de fazer com que seus clientes irem mais na sua loja? Se você não tivesse o taxi dog, teria a mesma quantidade de banhos e tosas atuais?

É preciso analisar essas questões perante sua realidade na loja atualmente. Se você tem 30% de banhos a mais porque o taxi dog busca e leva os pets, você acha que precisa lucrar em cima dele ou somente cobrir seus custos?

Fica a reflexão para você.

7) O táxi dog é uma comodidade para os clientes e faz com que ele entre menos no Petshop e consequentemente comprando menos! Qual a orientação para esse caso?

Você lembra do check-list que comentamos na pergunta número 2?

O check-list é uma forma de você validar alguns aspectos do cachorro, como citado anteriormente, se as vacinas estão em dias, remédio para vermes, etc.

Você ainda pode adicionar mais perguntas a ele, que vão te ajudar a vender sem precisar que o cliente vá até sua loja.

Por exemplo, questione também se ele ainda possui ração e se os petiscos que o pet adora não acabaram. Se este é um animal que ama brinquedos como as bolinhas comente que chegou algumas novidades…

A palavra-chave aqui é oferecer.

Tenha um bom atendimento, entenda as preferências daquele cliente (se o cachorro efetivamente AMA bolinhas) e ofereça bons produtos.

8) Posso usar uma moto para fazer esse serviço?

Definitivamente não. Essa não é uma boa ideia.

Entendo que a moto é uma forma de baratear o custo do táxi dog. Mas, vamos pensar sobre alguns pontos juntos…

Você só vai conseguir transportar um animal por vez. Ou seja, o tempo de busca e entrega será muito maior. Com isso, a quilometragem também aumentará já que você deverá ir e voltar na loja diversas vezes.

E aqui entra a questão primordial de porque a moto não é uma boa opção. Devido a segurança.

Qualquer incidente que o seu motorista vier a ter e a moto respectivamente puder vir a cair, a chances do pet se machucar são bens grandes. Diferente de uma batida de carro, no qual o pet estará mais protegido.

Pense por você mesmo, tendo o seu cachorrinho, você o deixaria levar numa moto? Provavelmente a resposta seja não. E se você mesmo não gostar da ideia, quem dirá seus clientes.

Considerações

Pudemos levantar diversos pontos de discussão sobre o táxi dog. Esperamos que de fato, responder essas perguntas tenha lhe ajudado na estruturação e validação do seu táxi dog.

Qualquer outra dúvida que não tenhamos respondido no webinar ou neste post, deixe aqui nos comentários que te responderemos!

Até logo!

Rating: 5.0/5. From 1 vote.
Please wait...

2 thoughts on “Táxi dog: 8 dúvidas frequentes sobre esse serviço

  1. Fiquei com uma dúvida :
    E se terceirizar esse serviço para evitar o investimento em compra de carro e contratação de empregado….
    Qual a vossa opinião?
    Obrigado!

    No votes yet.
    Please wait...
    1. É uma possibilidade, mas assim como na contratação de funcionários é válido fazer um alinhamento para saber que os seus clientes serão muito bem atendidos!

      No votes yet.
      Please wait...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *