Problemas de Pet Shop: 3 casos mais comuns e como solucioná-los

problemas pet shop

Este post foi escrito por Adriana Goés, founder e CEO da Valor Pet Consultoria

Novos nichos de mercado que buscam o bem-estar animal surgem a todo momento. É indiscutível que a relação dos tutores e seus animais de estimação tornou-se muito mais forte e, consequentemente, o segmento de produtos e serviços para animais também sofreu transformação e ampliação. Mas como nem tudo são flores, estamos aqui para discutir os principais problemas de pet shop e as suas soluções.

No ano passado, o setor faturou quase 19 bilhões de reais e tornou-se bastante atrativo. Porém, somente a robustez do setor não é garantia de sucesso nos negócios. É preciso ser um gestor extremamente eficiente dos recursos disponíveis e saber aproveitar, da melhor forma possível, as oportunidades.

Gerenciar um negócio de qualquer porte é um desafio enorme. O nível de conhecimento de gestão e a sua aplicação eficaz determinam o sucesso (ou o fracasso) das Petshops. É comum vermos alguns empreendimentos promissores não seguirem em frente por erros corriqueiros que podem ser evitados e dificuldades que podem ser facilmente superadas.

Os principais problemas de pet shop

Fizemos um estudo entre gestores com o objetivo de identificar os problemas de petshop mais comumente enfrentados por eles. O resultado obtido demonstra que os principais erros que afetam o sucesso de negócios pet são, na verdade, bastante elementares, mas podem gerar consequências negativas grandes, principalmente se forem somados. Os três mais apontados foram: não ter tempo suficiente; não conseguir construir uma equipe qualificada; não manter um controle rígido das finanças.

Definidas as principais queixas dos gestores, sintetizamos, a seguir,  algumas dicas simples e importantes para melhorar a gestão do seu negócio pet.

#1 Gerencie seu tempo

O gerenciamento do tempo é essencial para a gestão do negócio. Um dos grandes problemas de pet shop no gerenciamento do tempo é priorizar certas questões ou tarefas em detrimento de outras em uma determinada situação. Mas um planejamento estratégico nítido e objetivos claros facilitam a otimização das ações e sua priorização.

É importante considerar que, no âmbito pessoal, o sucesso no cumprimento das tarefas causa satisfação e motivação e, por outro lado, o não cumprimento causa frustração e ansiedade. Esses ciclos, tanto o virtuoso quanto o vicioso, refletem-se na saúde dos negócios.

Dicas para ser o mestre da produtividade!

Listamos 14 dicas gerais que podem ser empregadas no gerenciamento do seu tempo. Cada minuto conta.

  1. Determinar quanto tempo trabalhar por dia e tentar manter-se exatamente dentro daqueles limites. Isso é muito importante para seguir estimulado e não perder as energias rapidamente.
  2. Fazer uma lista. Todo planejamento tem que ser registrado por escrito. Quanto mais detalhado e completo, melhor.
  3. Não estabelecer metas impossíveis.
  4. Usar pequenas pausas (café, almoço, lanche, piada, conversa informal), mas controlar-se para limitá-las.
  5. Contabilizar não só o que não foi feito: valorize também as tarefas que você conseguiu cumprir, mantendo-se motivado.
  6. Estabelecer prioridades – para classificar as tarefas, você deve considerar: importância ou gravidade (de “extremamente grave” a “sem gravidade”); urgência (de “atenção imediata” a “planejamento de longo prazo”) e consequências da não execução (de “vai piorar rapidamente” a “não mudará”).
  7. Separar o planejamento em: diário, semanal e anual.
  8. Avaliar a sua produtividade e rever o planejamento, quando necessário.
  9. Dividir tarefas grandes em partes menores.
  10. Fazer uma coisa de cada vez é mais produtivo do que ser multitarefas.
  11. Sistematizar e/ou delegar tarefas repetitivas.
  12. Começar pelas que gastam menos tempo. Com isso 80% das atividades serão realizadas em 20% do tempo disponível.
  13. Usar ferramentas de gerenciamento de projetos, como o Trello.
  14. Se necessário, use o cronômetro.

#2 Treine seu time sempre (construindo o time dos sonhos)

Nosso cliente possui aspirações e desejos muito específicos e intensos. De um modo geral, possuem expectativas altas. Oferecer a melhor experiência possível para o cliente deve ser o objetivo principal a ser perseguido nos negócios. Para isso, o atendimento do colaborador é fundamental.

Para construir o time dos sonhos, elaboramos 5 dicas básicas.

a) Seleção e contratação: defina o perfil procurado

Comece selecionando bem seus parceiros e colaboradores. Antes de iniciar o processo de seleção monte o perfil ideal para o cargo. Assim fica mais fácil perseguir o objetivo de encontrar alguém que se encaixe no perfil definido.

Os principais pré-requisitos são: ter paixão pelos animais, ser simpático, empático, comunicativo, focado, habilidoso nas relações interpessoais e gostar de lidar com o público.

De um modo geral, é difícil encontrar alguém com conhecimento técnico específico na área. Mas, encontrando uma pessoa que apresente as competências, que tenha potencial de aprendizagem e intenção de progredir, o conhecimento técnico específico pode ser adquirido com relativa facilidade.

b) O treinamento é contínuo

Há sempre novos produtos e novas técnicas que devem ser incorporadas uma vez que os tutores de animais de estimação são ávido por novidades. Quem está atualizado é capaz de oferecer as melhores informações, produtos e serviços e obterá destaque na hora de vender e empolgar os clientes.

O treinamento deve abranger não só o conhecimento técnico, mas também técnicas de venda e ferramentas motivacionais.

c) Elabore um código de conduta

O registro da descrição clara de todas as questões importantes em relação ao comportamento, atitude e postura dentro da empresa é um atalho na hora de ensinar os novos colaboradores.

Pode-se incluir: o que deve ser esperado; o ideal a ser perseguido; o que deve ser evitado e o que não será tolerado por parte dos funcionários segundo os preceitos da empresa. Esse código de conduta deve ser apresentado e explicado a cada novo funcionário para evitar problemas no pet shop.

d) Mantenha o time estimulado

Cada pessoa possui mecanismos motivacionais próprios, mas a associação do reconhecimento e da recompensa é um mecanismo universal de motivação. O reconhecimento de um trabalho bem feito, do esforço dedicado para o cumprimento de metas e a conquista de resultados positivos é fundamental para a motivação do indivíduo.

Esse reconhecimento deve ser feito através de palavras, incentivos financeiros, de alguma vantagem, de um prêmio e/ou de uma promoção.

e) Não retenha maus parceiros

A falta de treinamento de funcionários associado à escassez de pessoas com experiência prática no setor pet induz muitos empresários a incorrem na retenção prolongada de um funcionário ruim.

Recomendamos fortemente que assim que seja detectado um desalinho entre o perfil do funcionário e as necessidades e expectativas da empresa, seja efetuado desligamento o mais rápido possível para que sua atitude não traga consequências negativas e não “contamine” o restante do quadro funcional, ou pior: os clientes.

#3 Controle financeiro

Fazer o controle financeiro do negócio pet, separar finanças pessoais das finanças da empresa e conhecer detalhadamente o fluxo de caixa são pontos cruciais. Na nossa experiência, apesar da sua grande importância, a área financeira é um dos campos mais negligenciados nos negócios da área Pet, seja por desconhecimento ou por desinteresse. Por isso, é um dos problemas de pet shop mais comuns.

Os dois erros mais básicos e, infelizmente, recorrentes que observamos são: a confusão entre finanças pessoais e da empresa, e a falta de dados confiáveis sobre os números da empresa. Por serem erros básicos, são de fácil resolução.

É fundamental implementar um sistema operacional eficiente, que mensure e esquematize os dados gerados diariamente pela empresa. A partir da captação automática dos dados gerados pelas operações diárias deve-se fazer a análise financeira a fim de se aferir a performance da empresa.

A análise financeira possibilita o controle das variáveis que podem interferir no resultado da empresa. Pequenas mudanças podem produzir grandes diferenças no final.

Por exemplo, o controle do estoque pode ser a diferença entre lucro e prejuízo. Isso significa que a boa gestão deve promover o equilíbrio: não deve faltar a mercadoria solicitada pelo cliente ou os insumos necessários para a prestação de um serviço e, ao mesmo tempo, não deve haver excedentes para que não haja perdas e aumento do capital imobilizado. O acúmulo das perdas, mesmo que pareçam insignificantes, pode gerar um grande prejuízo quando somadas.

Apesar da dificuldade de execução, a contagem de estoque deve ser efetuada periodicamente, de preferência uma vez por mês, para a apuração do valor do estoque, possíveis erros, perdas, desperdícios ou roubos, que devem ser contabilizados na análise financeira ou no processo de precificação das mercadorias ou dos valores dos serviços.

A incoerência entre prazos de pagamento curtos e recebimento longos podem gerar o aumento da necessidade de capital de giro e desequilíbrio das contas, de forma que o empresário acabe caindo na armadilha de captar recursos financeiros de bancos (empréstimos) com juros muito altos para poder pagar as dívidas de curto prazo. Muito cuidado! Despesas financeiras extras podem levar a resultados negativos. Essa situação é comum e de difícil resolução.

Esperamos ter ajudado e que você possa aplicar essas dicas hoje mesmo em pequenas e grandes ações na sua empresa!

sucesso pet shop

No votes yet.
Please wait...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *